domingo, novembro 12, 2006

Verdade seja verbalizada!

Há já muito tempo que queria escrever sobre isto mas não tinha nada consistente para introduzir um assunto já de si tão vazio. Obrigado Bruno pela iniciativa.

"Tento fazer contas de cabeça, muito rentes ao chão, para perceber o que atrai um produtor, por muito dinheiro e tempo que tenha, a tricotar dinheiro em Mayas, Carlos Castros e Cláudios Ramos das traseiras da qualidade da nossa televisão.E não consigo descobrir.Do Cláudio Ramos dispenso comentários. Tenho-os guardados nas águas furtadas do insulto.Considera-se o melhor naquilo que faz (palavras da própria).E quando achamos isso, tudo o que dissermos cairá,inevitavelmente, em saco roto. Mesmo muito roto.A Maya desdobra-se em profissões para ninguém perceber que não tem nenhuma.Nem o Y estilizado do nome.Relações Públicas de discotecas, taróloga de chamadas de desperdício acrescentado e Comadre.Tudo isto lhe confere o tempo de antena que devia estar na ponta da língua de quem interessa ao público que gosta de usar ocasionalmente o cérebro."

3 Comments:

Blogger L said...

Há uma coisa que me faz imensa confusão: as TVs, jornais e revistas entretêm-nos com astrólog@s, tarólog@s e outros bruxos afins todos os dias de emissão / publicação. De Astronomia, não há nadinha. Nenhum(a) astrónom@ tem lá tachos, e só fazem uma aparência (porque tem de ser) quando Plutão é despromovido do círculo planetário, ou coisa do género.

Por favor alguém me informe qual destas duas é Ciência, e a outra uma grande dose de treta...

2:27 da manhã  
Blogger nmc said...

Por acaso é algo sobre o qual quero escrever brevemente. Como costumas aparecer pelo meu blog, depois deverás comentar certamente.

O que eu acho importante reflectir, mais do que dobre os alinhamentos dos canais de televisão (já para não falar sobre os conteúdos da maior parte das revistas e jornais), é o facto de esses alinhamentos/conteúdos encontrarem eco na sociedade. Aliás, acho extremamente triste que programas que são autênticos lixos televisivos tenham tantas audiências. Para mim essa é que é a questão. Porque, verdade seja dita, enquanto os media necessitarem de audiências para estimular as suas receitas publicitárias (o que será certamente para sempre, visto que ninguém concordaria com um sistema "patrocinado" de outra forma) o lixo será o mais produzido e difundido.

:)

12:10 da tarde  
Anonymous xano said...

ai... como eu te compreendo... :)

12:01 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home